Descubra o Que São Fundos de Investimentos e Como Começar a Investir

Fundos de Investimentos

Conteúdo do texto

Com o crescente desenvolvimento tecnológico no mercado, podemos notar a facilidade de se obter informação. Nesse ponto, percebemos como o mercado financeiro tem ganhado espaço entre as pessoas interessadas em investimentos, mostrando a necessidade de tirar o dinheiro da poupança e aplicá-los em processos ainda mais rentáveis e benéficos. Dessa forma, podemos lembrar dos fundos de investimentos.

Essa modalidade tem conquistado diversos perfis de investidores, sobretudo aqueles que estão iniciando na bolsa de valores e buscam por aplicações que não exijam tanto conhecimento e prática no assunto.

Isso porque, o fundo de investimentos conta com especialistas altamente capacitados para agilizar diversos processos burocráticos, fazendo com que você aplique o seu dinheiro de maneira segura, rápida, e prática.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira o nosso post até o final e saiba o que é Fundo de investimentos e como investir nessa modalidade.

Fundo de Investimentos: o que é?

Antes de tudo, podemos definir que o fundo de investimento nada mais é do que um carteira com ativos financeiros. Em geral, ele é oferecido por administradoras que oferecem cotas para fazer a captação de recursos.

De forma prática, podemos imaginar que o fundo de investimento é basicamente um condomínio, onde cada pessoa tem acesso a uma cota (o apartamento, no caso)e realiza o pagamento deste imóvel mensalmente para o setor administrativo, seguindo orientações importantes.

Desse modo, podemos entender que no Fundo existem taxas para que a gestão faça a tomada de decisões baseadas nos ativos da carteira.

Como bem sabemos, a regulamentação desse tipo de investimento é comandado pelo CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e também pelo órgão ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). Essas entidades são responsáveis pela fiscalização e classificação de todas as atividades pertinentes.

Fundo de investimento: como isso funciona?

Antes de tudo, para quem não está habituado ao mundo dos investimentos e aos seus processos, o fundo de investimentos é uma excelente opção, já que oferece um meio altamente simples para realizar investimentos complexos.

Contudo, é bastante comum termos algum tipo de experiência em investimentos mais avançados e, por isso, o ideal é sempre ler o prospecto do fundo. Assim, você conseguirá diversificar a sua carteira em pouco tempo.

Portanto, para fazer aplicações em um bom fundo, você não precisa de valores muito altos. Em geral, as aplicações podem ser feitas com valores a partir de R$ 100 reais.

Quais são os tipos de Fundos de Investimentos?

Antes de tudo, costumamos dizer que os fundos de investimentos são geralmente classificados de acordo com a sua composição na carteira, além do prazo de aplicação e o seu objetivo de rentabilidade.

Dessa forma, antes de realizar qualquer tipo de aplicação, precisamos entender quais são os tipos de fundos existentes e qual é o mais apropriado para seus objetivos pessoais. Confira abaixo quais são eles:

1. Fundos de ações

Em geral, os fundos de ações direcionam, em média, 66% de seus investimentos em ações. Sendo assim, podemos dizer que o valor que você deseja rentabilizar depende exclusivamente de sua valorização. Além disso, eles também podem ser classificados como:

• Fundos Passivos: ações que são conduzidas no objetivo de gerar rendimentos financeiros ligados a um determinado índice, como é o caso da Ibovespa;
• Fundos Ativos: a carteira é composta sob análises macroeconômicas.

2. Fundos de Renda Fixa

Em suma, os fundos de renda fixa direcionam cerca de 80% dos investimentos em ativos de renda fixa, sejam pós-fixados ou prefixados. Sendo assim, a porção de 20% acaba sendo direcionada a derivativos, no simples objetivo de aumentar os ganhos rentáveis.

Além disso, os fundos de renda fixa geralmente são indicados para investidores que apresentam um perfil mais conservador, sobretudo aqueles que optam por conquistar bons rendimentos financeiros sem a necessidade de colocar a segurança da carteira em risco.

3. Fundos de Curto Prazo

Esse tipo de fundo busca seguir as variações que ocorrem em torno das taxas de juros. Sendo assim, seus investimentos são em títulos públicos prefixados ou até mesmo privados, desde que ofereçam riscos reduzidos de crédito.

Portanto, esse tipo de fundo tem a sua rentabilidade baseada ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário) e SELIC. Dessa forma, podemos considerar que os fundos de curto prazo também são destinados a quem apresenta um perfil mais conservador e prefere investir com baixo risco de perdas.

4. Fundos Cambiais

De forma didática, os fundos cambiais são um tipo de investimento que tem como base a moeda estrangeira, tais como títulos públicos de outros países do mundo. Contudo, as moedas mais comuns dos fundos cambiais são o euro e o dólar.

5. Fundos Multimercado

Tratando-se dos fundos multimercado, podemos dizer que sua composição é feita com base em renda fixa e variável. Nessa modalidade, você poderá ter infindáveis possibilidades de investimentos, inclusive ainda maiores do que as outras categorias citadas.

Sendo assim, esse tipo de fundo é ideal para quem visa oportunidades ainda mais atrativas, porém com riscos menores, já que a maioria dos fundos multimercado são altamente diversificados.

6. Fundos da Dívida Externa

Em geral, esse tipo de fundo contém cerca de 80% dos títulos relacionados à dívida externa da União. Dessa forma, seus rendimentos estão baseados no seguintes processos:

• Taxas de Juros que são pagas através de ativos;
• Rendimentos relacionados ao mercado estrangeiro;
• Taxas de câmbio do dólar frente ao real;

7. Fundos Imobiliários

Popularmente conhecidos como FIIs, esse tipo de fundo é derivado do setor imobiliário. De forma prática, quando você participa dessa categoria, acaba possuindo pequenas partes desses imóveis. Assim, diante dos fundos imobiliários, existe um profissional capacitado para gerenciar a FI, mensurando os resultados e prevendo os melhores rendimentos financeiros.

8. Fundos Referenciados

Em suma, o fundo referenciado tem um benchmark como foco na rentabilidade. Dessa forma, sua composição deve pairar em cerca de 95% dos ativos que estão relacionados à essa referência. Por isso, podemos dizer que se trata de um investimento altamente seguro, já que o patrimônio tem cerca de 80% de títulos públicos ou até mesmo privados, com baixo risco de crédito.

Como investir em Fundos de Investimentos

Em geral, para investir em um Fundo de investimento, o primeiro passo é buscar por aquele que mais atende o seu perfil de investidor, bem como os objetivos e a aplicação muito bem definida. Em outras palavras, você precisa buscar uma forma de investimento que esteja de acordo com seus objetivos financeiros, avaliando o seu índice de riscos.

De forma prática, podemos exemplificar a questão dos fundos de ações, que geralmente são mais arriscados que os fundos imobiliários, no caso. Entretanto, precisamos pensar que, de forma geral, todos os fundos oferecem um grau de risco.

Além disso, também é de suma importância avaliar as informações constatadas em sua lâmina, já que ela mostra todas as regras, informações e até mesmo as taxas sobre os processos.

Quais são as vantagens desse tipo de fundo?

Agora vamos listar as principais vantagens que os investidores percebem quando aplicam dinheiro no fundo de investimentos. Confira quais são elas abaixo:

1. Carteira diversificada: para quem curte investir de forma diversificada, o fundo de investimento é uma ótima opção para quem planeja aumentar as chances de ganho a longo prazo;

2. Liquidez: sabemos que grande parte dos fundos oferecem alta liquidez. Dessa forma, você consegue solicitar o retorno do valor investido sempre que quiser;

3. Acessibilidade: como dito anteriormente, os fundos de investimentos são altamente acessíveis, já que existem cotas que custam a partir de R$ 100;

4. Imposto inserido na fonte: o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) e o IR (Imposto de Renda) já são cobrados na fonte. Isso pode ser um excelente benefício para o investidor, já que não há necessidade de fazer o recolhimento de tributos;

5. Gestão capacitada: quando o dinheiro é investido em fundos de investimentos, há um especialista altamente treinado e capacitado para alocar os seus ativos de maneira eficiente e estratégica. Com isso, você terá menos burocracia para administrar os processos e terá o apoio de alguém que possui todo o potencial de oferecer rentabilidade máxima para a sua carteira.

6. Grandes chances de crescimento: como sabemos, os fundos se destacaram no campo dos investimentos. De acordo com dados recentes , só no ano de 2019, a captação chegou a R$ 191,6 milhões, ou seja, mais do que o dobro se formos comparar o ano de 2018.

Conclusão

Conforme vimos, os fundos de investimentos podem ser aplicações extremamente práticas e fáceis, sobretudo para quem está entrando no mundo dos investimentos. Além disso, também podemos observar a facilidade encontrada para se investir, já que é possível começar com apenas R$ 100.

Se você não possui muito conhecimento sobre o mercado ou não consegue ter tempo para estudá-lo de forma eficiente, os fundos de investimentos contam com uma gestão altamente especializada, que oferecem excelentes alternativas para os investidores interessados.

Além disso, ao escolher esse tipo de aplicação, sempre procure definir o seu perfil como investidor, os riscos, os ganhos, o cenário atual e outros elementos que você pode julgar como importantes para a assertividade nos investimentos.

Compartilhe este conteúdo

Simule seu investimento aqui

Oferecemos uma alternativa lucrativa para aplicar seu dinheiro de forma segura e profissional, com retorno consideravelmente superior ao de qualquer aplicação básica oferecida hoje no mercado.

Que tal acompanhar a performance dos nossos investimentos?

Preencha o formulário abaixo com seus dados e o valor do investimento (em US$) a ser simulado. Na sequência enviaremos no seu e-mail um link de acesso ao nosso sistema, onde você poderá conferir o quanto este dinheiro teria rendido nos últimos 12 meses.