2 Dicas Para Quem Quer Diversificar Seus Investimentos e Ganhar Mais Dinheiro

diversificar os investimentos
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Conteúdo do texto

Uma das piores dificuldades do agricultor é quando surge uma praga na plantação. Sabe o por quê? Os vegetais, devido a seleção e melhoramentos, são geneticamente muito semelhantes. Assim, se um fica doente a chance é que todos sejam afetados. Você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com investimentos e diversificação de carteira? Para descobrir, siga lendo duas dicas para quem quer diversificar seus investimentos e ganhar mais dinheiro.

Como você está aqui, provavelmente já sabe da importância de se diversificar uma carteira de investimentos, mas por via das dúvidas vamos falar mais um pouquinho desse tema. Também veremos como os tipos de investimento podem ser aliados na diversificação da carteira. A última dica será sobre o perfil de investidor.

Por que diversificar?

Você se lembra da crise econômica gerada pela bolha imobiliária dos EUA? O que você acha que aconteceu com quem colocou todos os seus fundos nos títulos imobiliários? Se você respondeu: falência, pode se gabar da sua esperteza, pois está certíssimo.

Na lavoura, quanto mais variedades genéticas na plantação, melhor. Isso porque se uma praga atacar determinada variedade, as perdas serão mínimas, pois provavelmente as outras serão resistentes.

A mesma coisa acontece com investimentos financeiros. A ausência de diversificação pode deixar sua carteira exposta a riscos, pois se seus títulos ou ações forem afetados por alguma queda você não terá opções.

Assim, quem investiu tudo que tinha no mercado de imóveis, fez como o agricultor que cultivou sua lavoura com pouca variação genética.

Ao diversificar uma carteira, você pode buscar por investimentos não interligados, em setores distintos. Caso, algum deles seja afetado, outro poderá ainda garantir que você tenha lucros.

Do mesmo jeito que alguém que investiu, por exemplo, no mercado imobiliário e em bitcoins. Mesmo tendo perdido, devido à crise dos imóveis, ainda teve lucro com a subida da criptomoeda.

Vamos para a primeira das dicas para quem quer diversificar seus investimentos e ganhar mais dinheiro.

1. Conheça os tipos de investimento

No mercado financeiro há muitos tipos de investimentos pelos quais você pode optar. Alguns deles são:

– Títulos públicos;
– Fundos de investimento;
– LCI e LCA;
CDB e RDB;
– Ações;
– Trading esportivo.

Cada um desses tipos de investimento possui características diferentes em relação ao risco e retorno. Alguns são mais estáveis, apresentando baixo risco, outros apresentam maior chance de perde e, logo, maior rentabilidade. Assim é possível encaixar os investimentos conforme o perfil de cada investidor. Vamos ver um pouco mais sobre cada um.

Títulos públicos

Os títulos públicos são emitidos pelo Governo Federal. Em outras palavras, são ativos de renda fixa utilizados pelo governo, a fim de financiar seus gastos e a dívida pública.

Por ser garantido pelo Governo Federal, esse tipo de ativo possui risco muito baixo, mas também um retorno compatível.

Fundos de investimento

Os fundos de investimento reúnem as aplicações de diversos investidores com a finalidade de maximizar os ganhos. Via de regra, são gerenciados por equipes especializadas de gestão e apresentam maior rentabilidade a longo prazo, mas também permitem aplicações curto e médio tempo.

LCI e LCA

LCI e LCA são letras de crédito do setor imobiliário e do agronegócio, respectivamente. Ao investir neste tipo de aplicação você está emprestando seu dinheiro para financiar estas áreas econômicas. Há garantia total, no caso de investimos até R$ 250.000 nessas aplicações.

RDB e CDB

Já o RDB e o CDB são como os títulos públicos, porém, ao invés de serem garantidos pelo Governo Federal, sua fiança fica por conta dos bancos. Assim, eles podem variar em risco a depender do porte e solidez do banco.

Ações

As famosas ações são equivalentes às menores partes que se pode comprar de uma empresa. As ações são negociadas nas bolsas de valores e podem ainda gerar dividendos. Normalmente, é neste tipo de aplicação que se encontra a maior taxa de risco e também de retorno.

Trading esportivo

Existe ainda o trading esportivo. Essa é sem dúvida uma das melhores maneiras de diversificar uma carteira, em especial, no Brasil. Isso se deve a pouca procura pelo tipo de aplicação, o que gera maiores oportunidades.

O trading esportivo se resume a negociação de valores na bolsa esportiva, podendo gerar altos ganhos, conforme a performance do trader ou operador.

Você deve ter reparado que falamos bastante em risco e retorno. Isso nos leva ao próximo tópico da nossa lista com as dicas para quem quer diversificar seus investimentos e ganhar mais dinheiro.

2. Conheça seu perfil investidor

As dicas que demos até agora podem ser muito úteis para você, mas isso não vai acontecer antes de ter definido seu perfil de investidor.

Sim, você tem um perfil de investidor e precisa considerá-lo para saber quais os melhores investimentos para você e também, quais as melhores maneiras de diversificar suas aplicações.

O perfil de investidor consiste em entender o quanto de risco você está disposto a correr e o quanto de retorno você esperar pelos diferentes níveis de risco. As métricas para essa avaliação também consideram a sua disposição financeira para investir, ou seja, o quanto você pode dispor para suas aplicações.

Algumas coisas importantes a considerar para uma boa avaliação de perfil de investidor são:

– A renda e o patrimônio;
– Idade;
– Os objetivos ao se investir;
– A tolerância aos riscos.

Renda e o patrimônio

Antes de se começar um investimento é preciso considerar o aporte imediato que será feito e também sua capacidade de economizar e investir ao longo dos anos.

Outro ponto que você precisa ter em mente é sua capacidade de ter dinheiro guardado para emergências. Esse fundo para situações difíceis pode evitar que você precise mexer nos investimentos antes do tempo previsto, diminuindo seus lucros.

Idade

Sim. É melhor não esconder a idade para o seu gestor. Brincadeiras à parte, a idade com a qual se começa a investir é um importante definidor do perfil. Além de indicar o quanto você conseguirá ter de retorno ao longo de seus anos de investimento, também auxilia na definição de seu perfil de investidor.

Um bom exemplo sobre a importância da idade é referente àqueles investidores que pretendem formar uma aposentadoria. Se você começa a investir aos 20 anos de idade, terá cerca de 40 anos ou mais de rendimentos. Logo, precisará de aportes menores para alcançar os mesmos objetivos de alguém que começou a investir aos 50 anos.

Objetivos de investimento

Os objetivos podem ser colocados de forma geral como, por exemplo, potencializar a aposentadoria. No entanto, quanto mais você listá-los de maneira específica, mais fácil será para administrar seus investimentos e para saber como diversificar.

Se você quer fazer uma grande viagem no final de um período de 10 anos, precisa ter isso em mente na hora de buscar os tipos corretos de aplicação. Pois, nesse caso não poderá deixar o dinheiro investido por mais tempo.

Um caso diferente é se você pretende comprar uma casa, no valor de 2 milhões, em 20 anos. Nessa situação, poderá calcular a média que cada possibilidade de diversificação vai te dar dentro desse prazo e também descobrir o quanto vai precisar aplicar para ter o retorno necessário.

Tolerância a riscos

Embora todos os pontos anteriores sejam de grande relevância para traçar o perfil de investidor, a tolerância a riscos deve receber especial atenção. Isso porque em momentos de crise, investidores com baixa tolerância, mas que aplicaram em investimentos de alto risco, tendem a entrar em pânico quando veem os índices de mercado despencarem.

Um dos resultados mais prejudiciais dessa situação é que esses investidores tiram suas aplicações durante os piores momentos de crise, perdendo, assim, parte considerável de seu patrimônio.

Esta situação pode ser contornada ao se compreender corretamente a tolerância que você tem aos riscos iminentes do mercado. Dessa forma, é possível diversificar os investimentos em aplicações adequadas ao seu grau de risco que consegue correr.

Em geral os investidores são classificados em três níveis de tolerância ao risco:

– Conservador;
– Moderado;
– Arrojado.

O investidor conservador é aquele com baixa tolerância. Em geral prefere investimentos a longo prazo, com retornos menores e riscos mínimos. Ainda assim, é possível encontrar uma boa diversificação em investimentos seguros.

Já o investidor moderado é aquele que procura encontrar o equilíbrio entre uma rentabilidade mais generosa e riscos não tão altos.

Se você está nesse caso, o ideal é procurar diversificar a carteira entre títulos públicos, CDBs e uma certa parcela do investimento em ações de empresas estáveis.

O investidor arrojado sabe o que quer: lucro. Se este é o seu perfil, quer dizer que buscará a maior rentabilidade possível e estará disposto a correr riscos que outros não estariam.

Entre estes investidores encontram-se os day trades, especialistas em transações diárias, grandes players das bolsas e alguns especialistas em comoditys.

Gostou deste artigo? Esperamos que nosso conteúdo tenha contribuído para você compreender melhor sobre como diversificar seus investimentos. Porém, o assunto ainda é longo e sempre vale continuar buscando por conhecimento. Assim, sua lavoura vai crescer e gerar uma boa rentabilidade.

Continue navegando pelo nosso blog e leia outros artigos.

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Simule seu investimento aqui

Oferecemos uma alternativa lucrativa para aplicar seu dinheiro de forma segura e profissional, com retorno consideravelmente superior ao de qualquer aplicação básica oferecida hoje no mercado.

Que tal acompanhar a performance dos nossos investimentos?

Preencha o formulário abaixo com seus dados e o valor do investimento (em US$) a ser simulado. Na sequência enviaremos no seu e-mail um link de acesso ao nosso sistema, onde você poderá conferir o quanto este dinheiro teria rendido nos últimos 12 meses.

Rolar para cima