O Que São as Debêntures e Como Começar a Investir

Debêntures

Conteúdo do texto

Quando um governo ou uma determinada empresa precisa de uma quantia para um projeto em particular ou até mesmo para injetar em infraestrutura, é preciso angariar investidores que possam emprestar uma quantia considerável. No entanto, como fazer isso? A resposta pode estar nas debêntures.

Ao invés de criar títulos financeiros, como muitas instituições e bancos costumam realizar, estas entidades podem dar origem a esta modalidade, garantindo que diversos indivíduos adquiram as dívidas e recebam um retorno surpreendente e lucrativo.

Ainda assim, em que consiste esta transação e como uma pessoa pode diversificar sua carteira de investimentos ao aderir a esta empreitada? Confira agora o artigo para saber mais a respeito e descubra todos os benefícios de uma prática que já foi considerada uma das melhores, no quesito de renda física.

O que são as debêntures?

As debêntures são um tipo de título em que um investidor pode emprestar dinheiro para um governo ou uma corporação, recebendo a devolução com juros a longo prazo. Dessa maneira, esta prática pode ser utilizada pelas entidades que precisam levantar capital, se tornando muito popular no segmento e amplamente discutida pelos envolvidos.

O motivo da discussão? É bem simples. Em geral, as debêntures não se configuram como uma dívida garantida, o que significa que não há nenhum ativo para o credor apreender, caso o devedor não pague o empréstimo. Em vez disso, os investidores precisam apenas confiar que a organização os reembolsará e isso, naturalmente, pode deixar alguns inseguros.

Contudo, como as entidades que emitem debêntures geralmente são governos ou grandes corporações, é possível presumir que o tomador do empréstimo não trará qualquer eventualidade ou prejuízo para suas finanças. O que, inclusive, é um pensamento muito assertivo.

Afinal, os títulos dos governos geralmente são considerados investimentos de baixo risco e os das empresas, apesar de menos seguros, contam com a viabilidade financeira e a solvência da organização. Logo, uma vez que você opte por uma organização confiável, não há com o que se preocupar.

No mais, vale lembrar que, assim como outros modelos similares, as debêntures são documentadas em um contrato legal e vinculativo entre emissores e detentores de títulos. Neste documento, inclusive, ficam especificadas as características relacionadas, como:

– A data de vencimento;
– O momento do pagamento de juros;
– O método de cálculo destes juros.

Além disso, são relatados também outros pormenores que abrandam a ansiedade de quem está investindo pela primeira vez. Sendo assim, vale a pena acompanhar a leitura e seguir conhecendo ainda mais sobre esta modalidade.

Conheça as debêntures conversíveis e não conversíveis

Existem ao menos dois tipos de debêntures que impactam diretamente na maneira como você irá receber o valor investido nesta empreitada. Diante deste cenário, é fundamental que você possa conhecer cada uma delas e escolher a que melhor se ajusta à sua condição.

Sendo assim, as debêntures conversíveis são títulos que, após atingirem o vencimento, podem ser transformados em ações da empresa. Por esta razão, elas podem ser bem atraentes para os investidores, especialmente se as companhias possuem uma grande possibilidade de crescimento.

Sua única adversidade, contudo, é que sua capacidade de conversão faz com que sua taxa de juros seja mais baixa. Especialmente quando colocada em comparação com outros investimentos de taxa fixa existentes no mercado.

Por sua vez, as debêntures não conversíveis (também chamadas de simples) são aquelas que não podem ser convertidas em patrimônio da companhia que emitiu o título. Logo, diante deste cenário, a fim de compensar a falta de conversibilidade, os investidores são agraciados com uma taxa de juros mais elevada.

No mais, além destes dois modelos, também podem existir outros dois que não interferem diretamente neste recebimento e, sim, na questão tributária relacionada a esta condição. É caso das debêntures incentivadas e das comuns, que serão abordadas mais à frente.

Perante o exposto, é interessante que você possa analisar todas as opções, observando qual delas pode trazer mais frutos a longo prazo e se a possibilidade de ter uma ação dentro da organização pode ser vantajosa.

As principais características de uma debênture

Entre as diversas características das debêntures, é possível considerar três pontos principais: sua taxa de juros, sua classificação de crédito e também sua data de vencimento. Conheça cada um dos itens abaixo:

– Taxa de Juros: É a determinação de quanto a empresa vai pagar ao debenturista ou ao investidor, seja a cada seis meses ou em período anual. Em geral, ela pode ser prefixada ou pós-fixada.
– Classificação de Crédito/Risco: Afeta a taxa de juros que os investidores receberão, uma vez que fornece uma visão geral dos riscos envolvidos ao realizar uma transação com esta empresa.
– Data de Vencimento: Determina quando a empresa deve reembolsar os investidores, realizando o resgate do capital. Em especial, este é um fator preponderante para as debêntures não conversíveis, dada sua especificidade.

Por esta razão, é fundamental estar atento a estes detalhes, especialmente se você tiver um objetivo em particular e desejar que o valor seja recebido antes desde determinado período. Ou, acima de tudo, se tiver interesse em garantir que seu investimento será realizado em uma empresa com um alto grau de confiabilidade.

Descubra agora mesmo como investir em debêntures

Tidas como o investimento mais rentável do Brasil em renda física, as debêntures são uma maneira de aumentar a sua carteira de investimentos e fazer com que o dinheiro renda ainda mais. Por este motivo, vale a pena considerá-las dentre as suas opções.

Ainda assim, como comprar um título como este? A resposta pode ser bem simples. As debêntures são inicialmente emitidas pela empresa em bolsa e posteriormente negociadas em um mercado secundário. Portanto, você pode optar por garanti-la quando a companhia a anunciar ou encontrá-la futuramente, adquirindo-a de outro investidor.

E, diante deste cenário, independentemente de quem estiver realizando a “venda”, é importante ter em mente que o valor pode variar, de acordo com a credibilidade da empresa. Por isso, ao escolher as melhores ofertas, verifique não apenas a taxa de juros, como também a classificação de crédito.

Logo, é aconselhável comprar as debêntures com classificações mais altas, como AAA , AA e semelhantes. Lembre-se: quanto maior a avaliação, melhor será a oferta. Além disso, verifique as demonstrações financeiras da empresa, optando pelas mais lucrativas e com um bom histórico de reembolso de empréstimos.

Uma vez que você tenha optado a sua preferida, está na hora de identificar se as debêntures que escolheu são incentivadas ou comuns. No primeiro caso, estes títulos não possuem qualquer incidência do Imposto de Renda. Já no segundo, a situação é bem diferente.

Por isso, se as suas debêntures forem comuns e não receberem qualquer incentivo do governo, o ideal é seguir a tabela regressiva do IR. Logo, a porcentagem se dará da seguinte maneira:

– Até 180 dias: 22,5%
– Entre 181 e 360 dias: 20%
– Entre 361 e 720 dias: 17,5%
– Acima de 720 dias: 15%

No mais, caso você queira revendê-la antes da data de vencimento, isso precisará ser feito em um mercado secundário e haverá a necessidade, também, de realizar o pagamento do IOF – especialmente se isso ocorrer antes dos primeiros trinta dias.

Levando isso em consideração, ao anunciar a sua debênture, por exemplo, você abre oportunidade para que outro investidor a compre sem ser diretamente da empresa que a emitiu. Portanto, isso fará com que o mercado continue girando e com que novas pessoas tenham oportunidades de adquirir títulos.

Os benefícios de investir em debêntures

Agora que você já sabe como investir em debêntures e como distinguir seus pontos principais, está na hora de conhecer os diferentes benefícios que esta prática pode trazer para a sua vida financeira.

Em geral, as debêntures proporcionam uma fonte fixa, regular e estável de renda para seus investidores. Além disso, elas possuem um período de vencimento definido, o que auxilia a organizar suas metas e a identificar qual a mais viável para os seus objetivos.

Ademais, elas contam com um bom retorno, excelente liquidez e uma diversidade de ganhos surpreendente para todos os envolvidos. Afinal, seu rendimento é acima da média na renda fixa, gerando ganhos superiores a outros similares, como Tesouro Direto, CDBs, LCI e LCA, além de CRI e CRA.

E, no caso das incentivadas, como já mencionado anteriormente, o indivíduo ainda consegue a isenção do Imposto de Renda. Logo, você não precisará pagar uma quantia específica ao tributo pelo simples fato de estar investindo seu dinheiro.

Gostou da ideia e ficou interessado neste tipo de empreitada? Considere agora mesmo realizar um investimento em debêntures e, claro, não deixe de analisar todos os pormenores antes de definir qual o título mais apropriado para a sua condição e orçamento.

Lembre-se sempre de avaliar os riscos envolvidos e de considerar uma organização que seja confiável e possa, efetivamente, trazer vantagens para a sua carteira. Não prejuízos.

No mais, indique este artigo para um amigo aficionado por investimentos e, se necessário, deixe suas dúvidas aqui nos comentários para que possamos sanar qualquer pergunta eventual. Esta é uma chance única de sair deste texto sabendo tudo sobre debêntures!

Compartilhe este conteúdo

Simule seu investimento aqui

Oferecemos uma alternativa lucrativa para aplicar seu dinheiro de forma segura e profissional, com retorno consideravelmente superior ao de qualquer aplicação básica oferecida hoje no mercado.

Que tal acompanhar a performance dos nossos investimentos?

Preencha o formulário abaixo com seus dados e o valor do investimento (em US$) a ser simulado. Na sequência enviaremos no seu e-mail um link de acesso ao nosso sistema, onde você poderá conferir o quanto este dinheiro teria rendido nos últimos 12 meses.