Como o Aumento Constante do Dólar Pode Influenciar Seus investimentos

Alta do Dólar e Investimentos

Conteúdo do texto

Investidores de todo o mundo se atentam para notícias que podem modificar o cenário de seus investimentos, e se você é um deles, com certeza será interessante para você conferir esta matéria até o final para identificar o papel das altas e quedas do dólar nos seus investimentos.

Os investidores que possuem o bom hábito de acompanhar as novidades do mercado financeiro para cuidar de seus investimentos podem se assustar com o frequente crescimento no valor do dólar.

E realmente, de fato esta é uma movimentação que mexe profundamente com diversas áreas da economia em todo o globo, e naturalmente os investimentos não estão por fora destas movimentações, uma vez que o dólar ainda representa a principal moeda do mundo, segundo muitos especialistas.

As modificações que ocorrem na cotação da moeda americana são capazes de afetar diretamente diversas importações e exportações de muitos países por todo o mundo, além, é claro, do preço das mercadorias que são importadas e exportadas.

Fora estas modificações, o dólar ainda afeta grandemente o valor dos ativos financeiros de muitas empresas por todo o mundo, sendo capaz de inflar ou minguar ações, a depender de sua valorização ou desvalorização.

Com este texto você será capaz de descobrir como e se a alta do dólar pode conseguir influenciar nas suas aplicações e investimentos de uma forma geral.

Além disso, também indicaremos como a alta do dólar altera investimentos feitos por todo o mundo e de que maneira você pode tirar proveito desse aumento por meio de estratégias de investimento que levam em conta a crise atual.

Por que motivo ocorre a alta do dólar?

Conforme citado anteriormente, o dólar é a principal referência monetária mundial, principalmente em razão do histórico econômico dos Estados Unidos durante o período do século XX.

Este século foi o qual os EUA se fizeram a maior potência mundial e expandiram seus negócios por todo mundo, enchendo os mercados e dominando os investimentos de todo o planeta, exercendo a maior influência econômica em outros países, em comparação a todas as outras nações – e tornando-se a maior economia do mundo. Por este motivo, a moeda norte americana é considerada suficientemente forte para servir como ponto referencial a todas as demais moedas do mundo.

Hoje em dia, há estudos de que a economia norte americana daqui a algum tempo talvez venha a ser substituída, em termos de influência e dominação, pela economia chinesa que vem ocupando uma posição de destaque na economia mundial. Talvez, quando ocorrer esta ultrapassagem, a Renminbi, moeda chinesa, vire a referência para o mercado econômico internacional – mas por hora, esta posição ainda é ocupada pelo dólar norte americano.

Da mesma forma que outros ativos, o valor atribuído às moedas mundialmente sofre influência de mercado em razão da relação de oferta e procura pela “compra” da moeda. Portanto, quanto maior se faz a busca pelo dólar americano, maior será a sua cotação no mercado internacional. Seguindo o mesmo tipo de raciocínio, quanto menor for a procura de pessoas e empresas pela moeda americana para a comprar, menor será o seu preço diante da unidade da moeda brasileira, o real.

Sendo assim, há diversos fatores mercadológicos e econômicos que são capazes de alterar a proporção do preço real em detrimento do valor atribuído ao dólar. Afim de ilustrar razões que podem levar a estas variações no preço da moeda norte americana frente ao nosso real, separamos uma série de razões que podem levar a moeda a colapsar de várias formas, a seguir:

– Crises internacionais: diante de crises políticas, sociais e econômicas, diversos investidores são levados a comprar muitos dólares para se resguardar das possíveis perdas que a crise os trará. Isto ocorre pois se, por exemplo, há uma crise no cenário brasileiro que pode enfraquecer nossa moeda, comprar dólares é converter o dinheiro em uma razão financeira mais segura diante da crise.

– Déficits gerados na balança comercial: estes déficits são causados em geral pelo aumento das importações brasileiras, em detrimento das exportações. Esta movimentação de mercado ocorre colocando em equilíbrio a balança comercial.

– Aumentos nas taxas de juros americanas: quando isso ocorre é quase certo que haverá uma consequente fuga de capital para investimentos em dólar – tratando-se de movimentação natural do mercado financeiro, em função de sua alta rentabilidade enquanto investimento.

– Crescimento dos gastos brasileiros no exterior: a alta do dólar diante do real também pode ocorrer pela crescente busca pelo dólar por brasileiros que realizam gastos no exterior, o que impulsiona a demanda pela moeda dos EUA, por ocasião da conversão do dinheiro.

Diferenças entre o dólar turismo e o dólar comercial

É importante ressaltar, no entanto, que o aumento na cotação do dólar afeta de formas diferentes o dólar turismo e o dólar comercial – uma vez que cada um tem uma finalidade completamente distinta da outra.

Enquanto o dólar turismo possui menos volume de negociações – não fazendo parte de grandes estratégias econômicas, sendo geralmente comprado e vendido por pessoas físicas, o dólar comercial não funciona da mesma forma. Por se tratar de uma comercialização menor e em menos quantidade, o preço do dólar turismo é sempre maior do que o valor atribuído ao dólar comercial, que possui outras funções.

Já, por sua vez, o dólar comercial possui sim um grande volume de negociações, não somente por empresas mas também por governos. O dólar comercial faz parte de transações econômicas gigantescas e a ele é aferido um valor mais baixo que o dólar turismo, em função dos grandes valores. E é o valor do dólar comercial que impacta investimentos por todo o mundo, justamente por sua função econômica.

É positivo ou negativo que o dólar suba?

Não há apenas uma forma de se observar a situação, uma vez que a resposta a esta pergunta muito depende de onde está o investimento do interlocutor. Dessa forma, não basta observar a alta da moeda norte americana somente por uma perspectiva, é necessário estudar por todos os pontos de vista para identificar melhor os fracassos e oportunidades que surgem no mercado.

A partir do momento que o dólar fica mais caro, observa-se imediatamente no mercado econômico o preço dos produtos importados aumentando, bem como a inflação e as exportações também tendem a crescer.

É claro, além destes resultados, os brasileiros também saem menos do país em períodos de alta do dólar, uma vez que a viagem se torna muito mais cara.

Ao aferir a alta do dólar, o custo dos importadores automaticamente sobe, ocasionando o aumento dos preços finais dos produtos que vem de fora – isso gera um aumento na demanda por mercadorias nacionais que, a partir desta movimentação, tornam-se mais baratas. Pronto, dentro da possível tragédia financeira já começamos a encontrar oportunidades.

A partir destes acontecimentos, a consequência é que há inflação gerada pelos importados e, dessa forma, o governo nacional tende a aumentar a taxa de juros para tentar aumentar o incentivo da permanência dos investimentos no país, evitando assim uma fuga econômica de investidores.

As pessoas que realizam exportação geralmente tendem a ficar mais competitivas fora do país, o que também é um potencial gerador de lucros. E com o brasileiro gastando menos fora do país, e mais dentro – a alta do dólar também tem um lado positivo para alguns investidores em específico.

De que forma a alta do dólar afeta os investimentos?

Falando de forma específica quando aos investimentos financeiros, o aumento da valorização do dólar pode ter diversos tipos de impacto diferentes. Abaixo selecionamos algumas das consequências mais comuns aos investimentos nacionais quando o dólar sobe:

– Há uma tendência natural de subida de taxas como a Selic e a CDI (Certificado de depósitos interbancários) – e esta subida altera a remuneração de rendas fixas por todo o país.

– Aos que tem investimentos, por exemplo, na bolsa de valores, quando há uma valorização na cotação do dólar, há uma tendência natural de queda no valor das negociações de ações de empresas nacionais – o que para muitos se torna uma oportunidade de invesrtimento.

– É natural também que haja uma certa fuga de capital brasileiro decorrente de investimentos que são realizados no exterior do país.

O mais indicado mesmo em períodos assim são as aplicações que são atreladas às oscilações cambiais, pois estas são capazes de melhores remunerações.

No entanto, é importante salientar que estes impactos da alta do dólar, embora sejam sempre esperados, nem sempre ocorrem da mesma maneira toda vez que há alterações significativas de valor na moeda norte americana.

Quais são os melhores investimentos a se fazer com o dólar alto?

– Fundos Cambiais: como este investimento é direcionado para as variações de câmbio, quando a cotação do dólar sobe, os níveis de remuneração dessa aplicação ficam mais altos e mais interessantes para os investidores.

– Ações específicas: durante o período da alta do dólar, sociedades anônimas costumam conseguir maiores margens de lucro e, portanto, são investimentos mais seguros para estes períodos.

– Investimentos esportivos: Estão sempre em alta e se trata de um investimento seguro para ser realizado com um retorno muito rentável, independentemente da alta da moeda norteamericana.

Compartilhe este conteúdo

Simule seu investimento aqui

Oferecemos uma alternativa lucrativa para aplicar seu dinheiro de forma segura e profissional, com retorno consideravelmente superior ao de qualquer aplicação básica oferecida hoje no mercado.

Que tal acompanhar a performance dos nossos investimentos?

Preencha o formulário abaixo com seus dados e o valor do investimento (em US$) a ser simulado. Na sequência enviaremos no seu e-mail um link de acesso ao nosso sistema, onde você poderá conferir o quanto este dinheiro teria rendido nos últimos 12 meses.